Sense&Learn (SELEA) 21 Brasil
Educação em Alimentação e Sustentabilidade nas Escolas

Parceria e colaboração entre profissionais da Dinamarca e do Brasil para o desenvolvimento sustentável com base na alimentaçãosaudável e na educação sobre sustentabilidade entre jovens estudantes brasileiros, são os principais temas do projeto piloto Sense & Learn (SELEA) 2021 implementado no Brasil.

O projeto piloto do SELEA 21 no Brasil ocorreu no Colégio Federal Pedro II no Rio de Janeiro e na organização não governamental (ONG) Instituto Verdescola em São Paulo. O público-alvo foi formado por 182 alunos de 6ª e 8ª séries.

O objetivo do projeto piloto apresentou três etapas: i) identificação das necessidades educacionais do público-alvo (adolescentes entre 10 e 16 anos) sobre as diretrizes do guia alimentar brasileiro e na sustentabilidade com foco na mitigação de resíduos alimentares, reciclagem de resíduos e soluções para as mudanças climáticas; ii) desenvolvimento de ferramentas para educar o público-alvo teoricamente e de forma participativa, a partir da colaboração multiprofissional e com participação dos próprios estudantes e iii) avaliação dos conhecimentos desenvolvidos após implementação das ações.

Na primeira etapa foram construídos, em conjunto com as equipes das duas instituições, dois questionários de avaliação do conhecimento. Um destinado aos estudantes e o outro destinado aos docentes. A segunda etapa uniu conhecimentos de tecnologia e da robótica para a criação e desenvolvimento conjunto da ferramenta a ser implementada nas instituições com o objetivo de mitigar os efeitos do desperdício dos alimentos. A terceira etapa avaliará os conhecimentos adquiridos após a intervenção.

Aculturação de ideias do projeto inicial dinamarquês, colaboração entre profissionais da Dinamarca e do Brasil, e a abordagem robótica como ferramenta educacional foram chaves importantes deste projeto piloto, que visa o cumprimento dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), Organização das Nações Unidas (ONU), números 3 Saúde e Bem-estar, 12 Produção e Consumo Sustentáveis,13 Combater as Alterações Climáticas e 17 Parcerias para o Desenvolvimento.

Para atingir esses objetivos, dois modelos teóricos “The Health Belief Model”, e o “Social Ecological model” subsidiaram os questionários elaborados e aplicados em combinação com ferramentas de gerenciamento de projetos e práticas da colaboração Inter profissional.

Para identificar as necessidades do público-alvo, foram aplicados métodos mistos na perspectiva dos métodos qualitativos. Os dados foram coletados por meio de métodos qualitativos e quantitativos, na forma de questionários, reuniões on-line, observação e interpretação.

Os principais resultados foram que o público-alvo não possui conhecimento adequado sobre o “Guia Alimentar Para População Brasileira” e porque determinado grupo de alimentos como “in natura” é uma opção mais saudável de consumo em relação aos ultras processados, o público-alvo também mostrou baixo conhecimento dos benefícios de uma alimentação saudável para a saúde mental. Além disso, apesar do senso de compromisso com a prevenção das mudanças climáticas e a proteção do planeta, o grupo-alvo não está totalmente familiarizado com a forma de reduzir o desperdício de alimentos ou reciclar adequadamente. Os resultados também mostraram que o público alvo não vincula a emissão de CO2 na atmosfera e o desperdício de alimentos como causas do aquecimento global e mudanças climáticas, sendo necessário aumentar o conhecimento dos alunos sobre esses tópicos.

Conclusão:
os resultados mostram a necessidade de aumentar o conhecimento e a conscientização do público-alvo de forma participativa sobre alimentação saudável e sustentável com base no Guia Alimentar para População Brasileira, redução do desperdício de alimentos e forma correta de reciclar o lixo. Também foi solicitado pelo público-alvo a disponibilidade de lixeiras apropriadas nas escolas. Os resultados também mostraram um engajamento maior dos alunos vinculados a ONG as atividades das aulas on-line sobre alimentação e nutrição, desperdício de alimentos e iniciação a robótica, oferecidas pelos colaboradores do projeto SELEA21 em comparação aos alunos do Colégio Federal Pedro II. Vale ressaltar que as atividades do SELEA21 ocorreram durante o pico pandêmico do COVID19 no Brasil em 2021 e conforme informado pelo Colégio Pedro II, possíveis razões para o baixo engajamento dos alunos do Colégio Pedro II, foi devido ao ensino 100% remoto e não obrigatoriedade da participação dos alunos nas atividades oferecidas pelo SELEA21.

Recomendações:
Com base neste piloto é recomendado estudos futuros para desenvolver um referencial teórico sobre como apoiar professores do ensino médio na educação com base no Guia Alimentar para a População Brasileira, mitigação do desperdício de alimentos e reciclagem dos resíduos. Além disso, o desenvolvimento de um novo estudo baseado na experiência piloto da SELEA Brasil com um número maior de escolas brasileiras é altamente recomendado.

Créditos:
BentEgbergMikkelse, Professor e responsável pelo projeto na Dinamarca, Giselle Medeiros Mesiara, Pesquisadora, Coordenadora do Projeto e Interface Cultural Brasil-Dinamarca com apoio de MuktiRamChapagain, Alessandra Pereira – Uni Rio, Maria Beatriz Martins Costa-Green Rio.
Além disso, o projeto contou com a colaboração multiprofissional do Instituto Verdescola, Colégio Pedro II, SESC Mesa Brasil, CEFET RJ, FAO Brasil e Centro de Inovação Dinamarquês São Paulo.

Nota:
O projeto SELEA está ancorado no Departamento de Geociências e Gestão de Recursos da Universidade de Copenhague. Encontre mais informações sobre nosso projeto aqui https://ign.ku.dk/english/selea/

Para informações sobre a SELEA Brasil, entre em contato
Giselle Medeiros Mesiara
Celular: (+45) 91111366 ou

 


 

Concordo com termos de uso e políticas de privacidade do Green Rio

Compartilhamento da página